sexta, 27 abril 2018 18:03

Manifesto pelo Tejo: O nosso Tejo é para defender e preservar

Contributo de Joaquim Raminhos.

O estuário do Tejo constitui uma referência a nível europeu, pelas espécies que aqui fazem o seu habitat, constituindo um património natural e cultural de importância estratégica, para as populações ribeirinhas, dos nossos concelhos.

O nosso Tejo tem sofrido ao longo de anos, as agressões de impacto ambiental provocadas pelas indústrias instaladas nas margens do rio, que sem qualquer tratamento, fizeram do rio um esgoto a céu aberto.

Hoje, com o desativar de algumas unidades industriais e com a entrada em funcionamento de diversas ETARS, os níveis de poluição das águas melhoraram nalgumas zonas, havendo a registar o repovoamento de algumas espécies aquáticas, para além de muitas aves migratórias terem aumentado a sua população, e permanecido nestes ambientes naturais, proporcionados pelo estuário.

Como autarcas do BE, queremos reafirmar a nossa determinação na defesa do Tejo, constituindo uma componente estratégica do desenvolvimento local, apresentando-se como um potencial para o desenvolvimento dos concelhos ribeirinhos.
Neste sentido, defendemos uma conjugação de esforços, numa perspectiva intermunicipal, para a defesa e preservação do nosso Tejo, pondo fim ao escoamento dos esgotos para o rio, acabando com todas as agressões de impacto ambiental, que degradam e destroem os ecossistemas ali existentes e a qualidade de vida das populações ribeirinhas.

Queremos também realçar, a importância da preservação e conservação das margens do rio, nomeadamente nas zonas de sapal, onde predomina uma flora e uma fauna, muito características das zonas húmidas, criando-se um ambiente propício para o acolhimento e nidificação de inúmeras aves.

Neste sentido os autarcas do Bloco de Esquerda, defendem o impedimento do uso indevido das margens do Tejo, como as lixeiras clandestinas, como caça ilegal e actividades industriais que não cumprem com regras ambientais em vigor.

Consideramos que o Tejo apresenta características e potencialidades, que constituem uma componente imprescindível para um Projeto de Desenvolvimento Regional.

O desassoreamento do rio e a instalação de infraestruturas, que possibilitem melhores acessibilidades das embarcações tradicionais, constitui um dos factores essenciais para a aproximação das populações ao rio.

Em termos educativos, defendemos uma relação mais estreita das escolas com nosso Tejo, usufruindo do património natural e histórico, para proporcionar conteúdos curriculares e espaços de aprendizagem, para os professores e alunos.

Os autarcas BE da margem Norte e da margem Sul do Tejo, reafirmam o apoio à valorização e divulgação da cultura ribeirinha, reforçando o entrosamento com a atividade das Associações Náuticas existentes, e incentivando a continuidade das embarcações tradicionais do Tejo, e das atividades inerentes às práticas náuticas. Como a vela e a canoagem.

Na vertente económica, o estuário do Tejo, apresenta-se como um pólo de desenvolvimento para os nossos concelhos ribeirinhos, abrangendo as actividades relacionadas com a aquacultura, com a reparação e construção das embarcações tradicionais e em atividades turísticas, podendo constituir áreas de investimento e de criação de postos de trabalho na nossa região.

Os autarcas do BE, das autarquias da margem Norte e da margem Sul, subscrevem este MANIFESTO, como um compromisso de defenderem e preservarem o nosso Tejo, face a todas as agressões de impacto ambiental, e os valores da cultura ribeirinha, que constituem um fator de identidade das populações que aqui vivem.


Joaquim Raminhos, vereador do Bloco na Câmara Municipal da Moita

Partilhar


XI Convenção do Bloco de Esquerda

Propostas do Bloco para a habitação

Autarquias

adere

Vídeos

Tempo de Antena - Março 2018

resolucoes

 

videos bloco

 

tempos antena

Esquerda Europeia